Posts

"A indecisão amorosa da personagem de Winona serve de metáfora para os dilemas de toda uma juventude, que se vê encurralada entre o conforto oferecido pela servidão — mesmo que involuntária — ao capital e a arriscada liberdade de uma vida à margem dos padrões pré-estabelecidos.

Tão atual quanto nos dias do apogeu da MTV, 'Caindo na Real' permanece como um relato fiel sobre o que ter vinte e poucos anos significa".

O que ter vinte e poucos anos significa por Lucas Bandos Lourenço Obra de estreia de Ben Stiller na direção de longas-metragens, “Caindo na Real” (1994) se propõe como um retrato da chamada “Geraçã…
extraquadro.wordpress.com

"'Garbo laughs!'. Duas palavras foram suficientes para tornar o pôster de 'Ninotchka' um dos mais icônicos da história do cinema. [...] Ao protagonizar uma comédia de Ernst Lubitsch, Greta Garbo rompia com sua persona enigmática e sisuda para, mais uma vez, entrar nos compêndios da sétima arte como uma de suas mais brilhantes intérpretes".

Quando Garbo riu por Lucas Bandos Lourenço “Garbo laughs!”. Duas palavras foram suficientes para tornar o pôster de “Ninotchka” (1939) um dos mais icônicos da história do cinema. Afinal, com sua co…
extraquadro.wordpress.com
Photos
Posts

Texto novo sobre "120 battements par minute", filme vencedor do Grande Prêmio do Júri no Festival de Cannes e de seis estatuetas no César, cujo tema central é a luta da organização Act Up-Paris contra a epidemia mundial de AIDS, entre as décadas 80 e 90.

"A alternância entre momentos de catarse coletiva [...] e outros dedicados à individuação dos dramas pessoais dos personagens garante o equilíbrio narrativo do filme, evitando que seus mais de 140 minutos de duração se tornem... arrastados ou enfadonhos. [...]

Se esse compromisso com o factual, por um lado, parece esvaziar de sentido o uso que Robin Campillo faz de imagens metafóricas [...], reduzindo-as a meras firulas visuais; por outro, também serve de lastro para uma importante denúncia do descaso do governo de François Mitterrand para com os principais grupos atingidos pela AIDS, a saber: homossexuais, prostitutas e usuários de drogas".

See More
Memórias do front por Lucas Bandos Lourenço Vencedor de seis estatuetas no César e do Grande Prêmio do Júri em Cannes, “120 Batimentos por Minuto” (2017) é, acima de tudo, uma obra comprometida com…
extraquadro.wordpress.com
Extraquadro is feeling anxious.
March 3

Antes tarde do que nunca: enfim, estão no ar nossas apostas para todas as vinte e quatro categorias do #Oscar2018! Quem você acha que leva a melhor neste ano?

POST COMPLETO:
Medium: http://bit.ly/2F9E7Ma
Extraquadro | WordPress.com: http://bit.ly/2tew0IK

... See More
Com foco na diversidade, 90ª edição do prêmio encerra temporada marcada por protestos contra o assédio e a favor da equidade por Lucas Bandos Lourenço Considerado o maior prêmio da indústria cinema…
extraquadro.wordpress.com

No novo post do Extraquadro confira a crítica de "Projeto Flórida"/The Florida Project (2017), mais recente longa-metragem do cineasta Sean Baker, indicado ao Oscar 2018 na categoria de Melhor Ator Coadjuvante, graças à interpretação de Willem Dafoe.

"O violento contraste entre o encantamento artificial prometido pelos parques temáticos e as condições de vulnerabilidade social enfrentadas pelas comunidades que os cercam é o elemento que dá a tônica dessa produção agridoce, na qual a beleza se extrai da adversidade e a reflexão do que, à primeira vista, parece mais banal e corriqueiro".

Onde os sonhos (não) se tornam realidade por Lucas Bandos Lourenço Em meados da década de 1960, poucos anos antes de sua morte, Walt Disney adquiriu uma área de milhares de hectares, até então ocup…
extraquadro.wordpress.com
Extraquadro is watching Netflix.
February 10

Discípulo imediato de Woody Allen, o diretor e roteirista Noah Baumbach dedicou boa parte de sua filmografia à exploração dos hábitos e idiossincrasias da classe artística e intelectual de Nova York.

Lançado pela Netflix e indicado à Palma de Ouro na 70ª edição do Festival de Cannes, "The Meyerowitz Stories" (2017) marca o reencontro do cineasta com vários dos temas tratados em "A Lula e a Baleia" (2005), uma de suas melhores realizações, indicada ao Oscar de Melhor Roteiro Original.

Saiba mais sobre o filme no novo post do Extraquadro:

Quem sai aos seus não degenera por Lucas Bandos Lourenço Discípulo imediato de Woody Allen, o diretor e roteirista Noah Baumbach dedicou boa parte de sua filmografia à exploração dos hábitos e idio…
extraquadro.wordpress.com

No novo post do Extraquadro, saiba mais sobre "Visages, Villages", filme dirigido a quatro mãos pela veterana cineasta Agnès Varda Officiel e pelo fotógrafo e artista visual JR Artist, indicados ao Oscar de "Melhor de Documentário" em 2018:

"[..] o longa-metragem [...] acompanha a jornada de seus dois realizadores por vilarejos do interior da França, em busca de histórias e imagens de moradores locais, que lhes servem de lastro para um fascinante processo criativo, envolvendo cinema, fotografia e intervenções urbanas. [...]

Aos poucos, o filme se constrói como uma espécie de colcha de retalhos afetivos, na qual as histórias e depoimentos dos personagens se misturam às próprias vivências e relatos pessoais de Varda e JR".

As redescobertas de Agnès Varda por Lucas Bandos Lourenço Poucos meses após receber o Oscar Honorário pelo conjunto de sua obra, a cineasta belga Agnès Varda, precursora e pioneira da nouvelle vagu…
extraquadro.wordpress.com
Extraquadro is feeling anxious.
January 24

No novo post do Extraquadro, saiba como os resultados dos Screen Actors Guild Awards, revelados no último domingo (21/1), podem influenciar os rumos de algumas das principais categorias do #Oscar2018, cuja lista oficial de indicados foi divulgada na manhã de ontem (23/1), pela The Academy.

Prêmio do Sindicato dos Atores é considerado um dos principais termômetros para a cerimônia da Academia; saiba qual é o cenário para 2018 Por Lucas Bandos Lourenço Não é à toa que o SAG Awards é ti…
extraquadro.wordpress.com

Mais do que um filme de terror, “It: A Coisa” (2017) se revela como uma espécie de “aventura de formação”, na qual o mais importante não são os sustos, mas sim o processo de amadurecimento dos protagonistas, que se confirma a cada nova empreitada contra o maligno Pennywise.

Se o filme peca pelo uso excessivo de efeitos de computação gráfica e sofre com alguns problemas de ritmo pontuais, por outro lado, ganha pontos ao refletir sobre como os pesadelos da vida real podem ser ainda mais aterradores do que aqueles produzidos pelas fantasias do imaginário infantil.

Clássico de Stephen King chega às telas com roupagem oitentista, abordando pesadelos da vida real por Lucas Bandos Lourenço Adaptado como minissérie para a TV nos idos da década de 1990, “It” sobre…
extraquadro.wordpress.com

No novo post do Extraquadro, confira a crítica de "Como Nossos Pais" (2017), um dos maiores destaques do ano na safra cinematográfica nacional.

O filme é o quarto longa-metragem dirigido por Laís Bodanzky e, em 2017, foi consagrado como o grande vencedor da 45ª edição do Festival de Gramado, conquistando seis troféus Kikito.

“Em ‘Como Nossos Pais’, o que está em foco não é apenas um ajuste de contas com passado, mas também – e principalmente – com o que está por vir. [...] Rodado num tom intimista, o filme conduz o espectador ao seio de um núcleo familiar cujos conflitos poderiam facilmente resvalar no dramalhão novelesco, mas que, graças à sensibilidade e ao apuro estético da diretora e corroteirista, são tratados com sutileza e riqueza de nuances”.

Com sutileza e profundidade, Laís Bodanzky examina disfunções familiares da classe média por Lucas Bandos Lourenço A tempestade que interrompe o almoço familiar de domingo, logo no início de “Como …
extraquadro.wordpress.com

No novo post do Extraquadro, confira a crítica de "O Estranho Que Nós Amamos” (2017), sexto longa-metragem da carreira de Sofia Coppola, que rendeu à cineasta o prêmio de melhor direção na 70ª edição do Festival de Cannes.

No filme, Coppola faz uma releitura da narrativa do romance homônimo de Thomas Cullinan - que já havia sido levado às telas, na década de 1970, por Don Siegel, com Clint Eastwood no elenco:

"[...] em cerca de uma hora e meia de projeção – e não mais do que... isso –, o filme de Coppola dá conta de manter a mesma estrutura narrativa adotada pelo livro de Cullinan [...], ao mesmo tempo em que lhe renova a ótica, lançando um bem-vindo olhar autoral feminino sobre a história de um soldado ianque que, no ano de 1864, em plena Guerra Civil Americana, encontra abrigo num internato para moças, localizado no estado da Virgínia, a poucos quilômetros da capital confederada da época".

See More
Sofia Coppola revisita ficção da Guerra Civil Americana sob a forma de um sinistro conto de fadas por Lucas Bandos Lourenço Enquanto adaptação que é, o sexto longa-metragem da carreira de Sofia Cop…
extraquadro.wordpress.com

No novo post do Extraquadro, confira a crítica de "David Lynch: A Vida de Um Artista” (2016). O documentário foi financiado coletivamente e concentra-se nos anos de formação do cineasta norte-americano, com especial destaque para suas experiências no campo das artes plásticas:

"Distante da atmosfera onírica e da estrutura não-linear que caracterizam a filmografia de Lynch, “A Vida de Um Artista” apresenta de maneira elementar relatos e imagens que, como peças de um quebra-cabeça, podem ajudar os fãs a elucidar, ao menos em parte, alguns dos aspectos que perpassam o processo criativo do autor de obras-primas como 'Veludo Azul' (1986) e 'Cidade do Sonhos' (2001)".

O possível retrato de um artista por Lucas Bandos Lourenço Se você está em busca de um relato que esmiúce a vida e a obra cinematográfica de David Lynch, com direito a detalhes sobre sua trajetória…
extraquadro.wordpress.com

No novo post do Extraquadro, confira a crítica de "Corra! (2017), longa-metragem de estreia do ator e comediante Jordan Peele na direção de cinema e um dos filmes mais comentados da temporada.

"Com uma abordagem dotada de incontestável originalidade, 'Corra!' vai além do exercício de gênero e une humor satírico e horror gráfico para atacar o âmago do politicamente correto e desvelar o racismo escamoteado no discurso das elites".

Unindo sátira e horror, Jordan Peele ataca o racismo e o politicamente correto por Lucas Bandos Lourenço Filme de estreia do comediante Jordan Peele na direção de cinema, “Corra!” (2017) funciona c…
extraquadro.wordpress.com

No novo post do Extraquadro, confira a crítica de "No Silêncio da Noite" (1950), clássico do cinema noir, dirigido por Nicholas Ray, protagonizado por Humphrey Bogart e inspirado num romance policial da escritora Dorothy B. Hughes.

"Dotado de uma estética especialmente sombria – até mesmo para um noir –, 'No Silêncio da Noite' nos envolve com sua ambiência taciturna, ideal para a contemplação de situações e temas dolorosos, como os rompantes de fúria do protagonista, magistralmente incorporados na atuação arrebatadora de Bogart".

Obra-prima do cinema noir é o filme mais confessional de Nicholas Ray por Lucas Bandos Lourenço Expoente do gênero noir, “No Silêncio da Noite” (1950) é tido como um dos melhores trabalhos da filmo…
extraquadro.wordpress.com
Extraquadro updated their cover photo.
July 6, 2017

"No Silêncio da Noite" (In a Lonely Place)
1950, dir.: Nicholas Ray

Image may contain: 1 person, standing and indoor

No novo post do Extraquadro, confira a crítica de "A Garota no Trem" (2016), thriller dirigido por Tate Taylor, protagonizado por Emily Blunt e baseado no best-seller homônimo, escrito por Paula Hawkins.

"Elementos como a trilha sonora dramática, a narração em off e o uso da câmera lenta e de enquadramentos distorcidos em certos momentos de tensão se mostram tão equivocados quanto desnecessários, o que torna o resultado final do longa ainda mais superficial e estilisticamente pobre",

Boa atuação da protagonista não consegue salvar adaptação da insipidez por Lucas Bandos Lourenço Adaptação cinematográfica do romance homônimo de Paula Hawkins, “A Garota no Trem” (2016) foi compar…
extraquadro.wordpress.com

No novo post do Extraquadro, confira a crítica de "Animais Noturnos", filme que representa a segunda e mais recente incursão de TOM FORD, estilista e magnata do mundo da moda, pelas veredas da sétima arte:

"Baseado no romance 'Tony & Susan', do escritor estadunidense Austin Wright, 'Nocturnal Animals' é um thriller psicológico de primeira qualidade, que ousa ir além das convenções do gênero, utilizando-se de artifícios narrativos tão intrincados quanto instigantes".

Entre o preciosismo e a barbárie por Lucas Bandos Lourenço Nos idos de 2010, o filme “Direito de Amar” (2009) garantiu a Colin Firth sua primeira indicação ao Oscar de Melhor Ator. Elogiado pela cr…
extraquadro.wordpress.com